O retorno triunfal de Senhora do Destino

Parece lançamento de uma novela inédita. Mas é merecido.

Blog Jorge Brasil

O retorno triunfal de Senhora do Destino | <i>Crédito: Reprodução
O retorno triunfal de Senhora do Destino | Crédito: Reprodução
Fiquei impressionado com a campanha publicitária que a Globo criou para a estreia de Senhora do Destino no Vale a Pena Ver de Novo, a partir de amanhã (segunda 13). Parecia lançamento de uma novela inédita. Mas é merecido. Além de ser uma obra extraordinária, a trama de Aguinaldo Silva é simplesmente a novela das 9 de maior audiência da Globo dos últimos anos. Ela teve 50,4 pontos de média de Ibope e 73,7% de participação nos televisores ligados. Nenhuma produção do horário fazia tanto sucesso, desde O Rei do Gado (1996), que teve 52,0 pontos de média. E nenhuma outra depois de Senhora do Destino conseguiu superar a sua audiência. 

A história narra a saga de Maria do Carmo (Carolina Dieckmann/Susana Vieira), uma nordestina forte, mãe de cinco filhos, que venceu na vida com muito suor, e luta para reencontrar Lindalva (Carolina Dieckmann), sua filha caçula, sequestrada ainda bebê. “Acho que foi a novela em que fui mais feliz na minha vida”, declara Susana Vieira, que deu vida à personagem principal na segunda fase da trama, graças a desistência de Regina Duarte, escalada para viver a personagem. 

Conta a lenda que foi a própria Susana - que interpretaria a vilã, Nazaré Tedesco -, que tomou pra si o papel e convenceu Aguinaldo a fazer a troca, entregando Nazaré para Renata Sorrah. Teria Susana se arrependido? Duvido que ela assuma, mas o fato é que Renata roubou todas as cenas como a grande vilã da história, sequestradora da menina. “Se não fosse a Nazaré, a Maria do Carmo não seria a Maria do Carmo. Eu ficava encantada e dizia: “Meu Deus, eu não teria feito aquela Nazaré do jeito que a Renata fez”, elogia Susana. “Nazaré é uma vilã com humor, todo mundo se divertia com ela. E ela era horrível, péssima, mas isso era adorável”, define Renata. Sua personagem era uma prostituta, que se fingiu de enfermeira quando roubou Lindalva da mãe, ainda bebê, para tentar se casar e mudar de vida, já que acreditava que a gravidez seria a única maneira de separar seu amante de sua esposa oficial.

Com Nazaré, Renata entrou para a história como uma das maiores vilãs de todos os tempos. Até hoje, suas maldades são lembradas e espalhadas pela internet. A atriz acompanha de perto e se diverte com os memes e gifs criados para a personagem, que ganham o mundo junto com a novela, exibida em cerca de 50 países. Um deles, que mostra Nazaré confusa, olhando rapidamente para todos os lados, foi usado até para repercutir um dos debates da disputa presidencial dos Estados Unidos. “É impressionante como até hoje as pessoas me chamam de Nazaré nas ruas. Até adolescentes, que não têm idade para ter assistido à novela, reconhecem em mim a personagem por causa da internet. Hoje a Nazaré não me pertence mais, ela tem vida própria. Faz as loucuras dela e todo mundo gosta, acessa nas redes. É um personagem que me dá muita alegria”, destaca Renata.

Uma trama inesquecível

De autoria de Aguinaldo Silva e com direção geral e de núcleo de Wolf Maya, Senhora do Destino é dividida em duas fases. A história começa em 1968, quando Maria do Carmo (Carolina Dieckmann) deixa uma cidade no interior de Pernambuco com seus cinco filhos em busca de uma vida melhor no Rio de Janeiro, onde mora seu irmão Sebastião (Luiz Carlos Vasconcelos). Sem um centavo no bolso, ela chega à cidade em um ônibus clandestino em meio à confusão de 13 de dezembro de 1968, quando foi decretado o Ato Institucional Número 5 pelo Governo militar.

No meio do caos em que se transformou a cidade, Reginaldo (Miguel Rômulo), um de seus filhos, é ferido por uma pedrada. Maria do Carmo consegue se refugiar com as crianças em uma casa abandonada. Nazaré (Adriana Esteves), após uma discussão com o amante Luís Carlos (Tarcísio Filho), também se abriga no local. Ela se passa por uma enfermeira e promete tomar conta das crianças enquanto Maria do Carmo leva Reginaldo ao hospital. Com a bebê Lindalva no colo, Nazaré foge e convence seu amante Luís Carlos Tedesco (Tarcísio Filho) de que a menina é sua filha recém-nascida e o faz registrar Isabel, com seu nome.

Ao perceber que perdeu Lindalva, Maria do Carmo se lança descontrolada no meio de uma manifestação contra a ditadura e acaba presa. Assim, a nordestina é levada para a Ilha das Flores e afastada de todos os filhos. Na cadeia, recebe a ajuda de um estranho: Dirceu de Castro (Gabriel Braga Nunes), jornalista do Diário de Notícias, se impressiona com a história de Maria do Carmo e descobre que ela é irmã de Sebastião, motorista da dona do jornal para que trabalha. Horas depois, ao se ver diante do Comandante Saraiva (Werner Schünemann) para interrogatório, Dirceu consegue chamar a atenção do militar para a história da retirante e Maria do Carmo é solta e finalmente localizada pelo irmão. Ao voltar para as ruas, Maria do Carmo consegue encontrar os quatro filhos, que tinham sido encaminhados para o Juizado de Menores, mas não descobre o paradeiro de Lindalva. Ela então jura, diante dos filhos e do irmão, que sua vida será dedicada à tarefa de localizar a filha.

Levada por Sebastião para um sítio que ele comprou na Baixada Fluminense, Maria do Carmo percebe que a região tem várias obras em andamento e aposta que um negócio de venda de material de construção fará sucesso no local. Confiando nessa previsão, ela abre uma tendinha, depois uma loja e, finalmente, uma cadeia delas, dando início assim a uma vida próspera. Muitos anos se passam e Maria do Carmo se torna uma figura ilustre da Baixada Fluminense.

Às custas de muito trabalho, criou os filhos com princípios rígidos e não parou de pensar um só instante em sua filha sequestrada em 1968. Nem se deu ao luxo de pensar que talvez pudesse fracassar em seu intento de reencontrá-la. Reginaldo (Eduardo Moscovis), o filho mais velho e um político de caráter duvidoso, já discutiu muito com a mãe por causa disso. Já Leandro (Leonardo Vieira), Viriato (Marcello Antony) e Plínio (Dado Dolabella) apoiam, com mais ou menos entusiasmo, a obsessão da mãe.

Na vida afetiva, a relação de amizade com Dirceu (José Mayer) se transformou em amor. Os dois estão juntos há muitos anos e mantêm uma relação adulta e tranquila, na qual não existe lugar para suspeitas. Por isso, Dirceu não se sente ameaçado pelo interesse e pelas investidas do apaixonado Giovanni Improtta (José Wilker). Ex-bicheiro, Dr. Giovanni faz de tudo para se tornar um cidadão exemplar e conquistar o coração de Maria do Carmo. Graças aos inestimáveis serviços do seu contador, seus negócios são absolutamente legais apesar da origem nebulosa do dinheiro investido.

Senhora do Destino tem ainda em seu elenco grandes nomes da dramaturgia como Glória Menezes, Débora Falabella, Letícia Spiller, Leandra Leal, Ângela Vieira, Maria Luisa Mendonça, Tânia Kalil, Dan Stulbach, Thiago Fragoso, José de Abreu, Ítalo Rossi, Elizângela, Flávio Migliaccio, Marília Gabriela, Nelson Xavier, Mylla Christie, André Gonçalves, Maria Maia, Carol Castro, Helena Ranaldi, Adriana Lessa, Ronnie Marruda, Hetor Martinez, Nuno Mello, Miriam Pires, Cristina Mullins, Bárbara Borges, Ludmilla Dayer, André Mattos, Wolf Maya, Mario Frias, Maria Glade os saudosos Raul Cortez e Yoná Magalhães. Até o dia 21, a novela divide o horário com as emoções finais de Cheias de Charme. A partir da quarta 22, Senhora do Destino passa a ocupar integralmente a faixa. Simplesmente imperdível!

13/03/2017 - 18:02

Conecte-se

Revista Minha Novela