TV Brasil homenageia os 105 anos de Mazzaropi com festival imperdível!

Serão exibidos 20 filmes do rei da comédia no cinema brasileiro

Blog do Jorge Brasil

Serão exibidos 20 filmes do maios astro da comédia nacional | <i>Crédito: Fotos de divulgação TV Brasil
Serão exibidos 20 filmes do maios astro da comédia nacional | Crédito: Fotos de divulgação TV Brasil


Está com saudade do Candinho, de Êta Mundo Bom!? Eu também. Infelizmente o personagem de Sergio Guizé, mas um dos musos inspiradores do autor Walcyr Carrasco - e também do ator - para criar o protagonista de sua novela ganha uma super homenagem hoje. TV Brasil reestreia o Festival Mazzaropi, reunindo 20 clássicos do astro e cineasta, sendo que, três dessas produções, vão ao ar pela primeira vez em cores. 

 
O festival faz parte das comemoração dos 105 anos de Amácio Mazzaropi, celebrados este ano. A TV Brasil vai apresentar uma sessão semanal de longas-metragens dedicada à filmografia do ator e o primeiro é Chofer de Praça (1958), que vai ao ar daqui a pouco (sábado 6), às 16h.

O Jeca e a Freira

Três dos filmes da faixa são apresentados ao público pela primeira vez em cores com a descoberta das suas matrizes coloridas: O Jeca e a Freira (1968), No Paraíso das Solteironas (1969) e Uma Pistola Para Djeca” (1969). 

No Paraíso das Solteironas

Já outras quatro produções são inéditas na TV Brasil: Chofer de PraçaJeca Tatu (1960), que será exibido no sábado 13, às 16h, O Vendedor de Linguiça (1962), em cartaz dia 20, no mesmo horário, e Casinha Pequenina (1963), programado para 27/5, também às 16h.

  
Trajetória de sucesso

Ícone da sétima arte no país,o comediante Amácio Mazzaropi até hoje é considerado um dos maiores atores brasileiros. Com tramas simples e um humor singelo, ele utilizou da figura do Jeca para fazer rir em produções que se tornaram clássicos da cinematografia nacional. A trajetória do ator e diretor contempla 32 filmes produzidos entre 1952 e 1980. Mazzaropi chegou a atrair mais de oito milhões de espectadores em um único longa-metragem. Ele deu vida ao imortal e carismático estereótipo do homem do campo. Jeca, seu personagem, caipira e ingênuo, mas com doses de malícia, conquistou a simpatia das massas populares, que garantiam as sessões lotadas em todos os seus filmes.

Uma Pistola para Djeca

A estreia de Amácio Mazzaropi nas telonas foi em Sai da Frente (1952), no papel de Isidoro, um motorista de caminhão que deixa o carro desgovernado em plena cidade de São Paulo. A partir daí seguiu caminhando em pequenas, médias e grandes apresentações consolidando seu nome no cinema brasileiro, além de programas de televisão e nos palcos do teatro.

Casinha Pequenina

Em 1958, Mazzaropi funda a PAM Filmes (Produções AmácioMazzaropi), em modernos estúdios em Taubaté, e lá realizou 23 longas-metragens. Os maiores sucessos foram Jeca Tatu (1959) e Casinha Pequenina (1963), ambos contabilizando oito milhões de pagantes cada. Seu último trabalho no cinema foi O Jeca e a Égua Milagrosa, de 1980. No ano seguinte, morreu aos 69 anos, vítima de um câncer na medula antes de concluir a obra Maria Tromba Homem, filme que ficou inacabado.
Ou seja: o Festival Mazzaropi é totalmente imperdível!

06/05/2017 - 13:31

Conecte-se

Revista Minha Novela