Websérie: a novidade que está conquistando o público!

O crescimento das webséries marcam um novo tempo para seus produtores e para as emissoras de TV

Texto: Thomaz Rocha

Julianne Trevisol na websérie 'Saideira' | <i>Crédito: Divulgação
Julianne Trevisol na websérie 'Saideira' | Crédito: Divulgação
Desde a chegada da internet no Brasil, em 1995, e sua popularização, nos anos 2000, a web se tornou uma ferramenta de melhoria na relação entre produtor audiovisual e consumidor desses tipos de produtos. Hoje, o público tem acesso a outras plataformas de produções como novelas e séries. Tal fenômeno proporcionou uma queda na audiência na TV, mas não necessariamente as pessoas pararam de ver produtos televisivos, uma vez que o indivíduo pode assistir qualquer obra em um tablet a hora que bem desejar, por exemplo. Nos últimos anos, as séries ganharam forma na internet. As chamadas webséries nada mais são do que produções seriadas disponibilizadas exclusivamente para a internet com o intuito de oferecer uma programação diversificada e sem dependência de horário para o público.

Sem limites
Uma das maiores plataformas que disponibilizam conteúdo dramatúrgico é o Youtube. No site, podem ser encontrados diversos vídeos desse tipo, dos mais variados gêneros. Para o ator Faell Vasconcelos, as facilidades de produzir para internet são inúmeras. “A web permite uma liberdade que uma emissora de TV não dispõe. O canal pode abordar diversos assuntos no peso em que achar viável. Quem acessa vai naquele canal porque sabe que encontrará a mensagem que ele, enquanto receptor, quer ver”, conta Faell.

Desafios na produção 
Engana-se quem pensa que é muito simples produzir uma websérie. Os desafios vão de falta de incentivo a escassez de equipamentos. “Por falta de conhecimento cultural, os produtores raramente conseguem patrocínio. Muitos empresários ainda não acreditam na força da internet. Mas não é apenas isso. Por ser muito fácil colocar uma série na plataforma, há produções precárias, o que contribui para o medo e o preconceito dos investidores culturais”, afirma Faell que, além de atuar em webséries, também é dono do canal ArtWeb, no Youtube, onde posta suas produções também como idealizador.

Sua mais recente criação, Romeu e Romeu, foi vencedora em três categorias, do festival estrangeiro Web Series International Trophy (Melhor Série, Melhor Roteiro e Melhor Ator).

Pra todos os gostos 
Além de fazer a cobertura dos produtos da Globo, o Gshow disponibiliza conteúdos exclusivos para a internet. Público para as produções não falta. A série Saideira, estrelada por Felipe de Paula e Julianne Trevisol, narra a história de Lázaro, um rapaz morto que tenta de várias formas ser merecedor de um lugar no Paraíso. Já o Laboratório do Som faz uma incursão nas histórias de canções que marcaram intérpretes brasileiros. O Deborah Secco Apresenta mostra a atriz entrevistando personalidades e enfrentando os desafios da maternidade.

Além da telinha
As chamadas spin-offs também são disponibilizadas no site. Esse tipo de gênero é como uma extensão do produto que é apresentado na TV. Eles estão em pleno crescimento e representam o futuro na convergência de conteúdo. “Os benefícios de emissoras de TV em webséries se dá para uma abertura maior de leques. Para novos atores ou roteirista, é uma vitrine a mais. Com o investimento de canais televisivos em websérie, todos saem ganhando”, diz Faell.

19/12/2016 - 09:01

Conecte-se

Revista Minha Novela