Aos 21 anos, Marília Mendonça se consolida como estrela do sertanejo

Mesmo noiva, ela revela que continuará cantando sobre as dores do amor

Texto: Carolina Rossini

Marília Mendonça se consolida como estrela do sertanejo | <i>Crédito: Paulo Santos/Contigo
Marília Mendonça se consolida como estrela do sertanejo | Crédito: Paulo Santos/Contigo
Se o seu coração está partido, é bem possível que a terapia para superar o amor não correspondido venha das músicas de Marília Mendonça. A cantora, de 21 anos, tornou-se a porta-voz da sofrência no Brasil. “Sempre canto sobre histórias reais, que acontecem comigo ou com pessoas próximas a mim. O público consegue se identificar, por isso gosta”, acredita a goiana, que virou uma das estrelas do ritmo sertanejo. E olha que ela nem gostava do estilo musical. “Eu cantava rock e falava que não ia chegar perto do sertanejo, música de corno… Então me disseram que, assim que eu tomasse meu primeiro chifre, não apenas iria cantar música sertaneja, como escreveria também”, lembra a artista, que tinha vergonha de mostrar as letras das músicas que compôs no começo da carreira. Graças ao apoio do amigo e também compositor Juliano Tchula, as palavras de Marília viraram música e caíram no gosto popular.

Sucesso nacional 
O hit Infiel foi um dos mais tocados no último ano e o sucesso de Marília está registrado em seu mais novo trabalho, o DVD Realidade: Ao vivo em Manaus, que reuniu nada menos do que 40 mil pessoas no bumbódromo da capital do Amazonas, em outubro do ano passado. Neste projeto, a cantora apresenta apenas músicas inéditas, como Eu Sei de Cor, Amante Não Tem Lar e Saudade do Meu Ex. “Quero apresentar a minha realidade, que é a mesma de muitas pessoas. Agora me perguntam se, porque estou noiva, vou escrever sobre histórias bonitinhas de amor”, conta a cantora. “Mas já disse que não vou, a história que dá certo no Brasil é a que dá errado, a da sofrência”, brinca.

Segundo Marília, seu sucesso é atribuido às mulheres, que consomem mais arte do que os homens, e por elas a verem como uma pessoa real, nos palcos e na vida. “Fico muito feliz de ser pioneira em retratar uma mulher real. Sempre tive o sonho de cantar o cotidiano das pessoas. E acho legal a mulher se identificar comigo. Não olhar no palco e ver uma boneca, montada, com maquiagem sem borrar... Tenho meus defeitos e as mulheres se identificam com isso”, explica Marília, que sonha em gravar com Alcione e que não pensa em seguir uma carreira internacional. “Já tem a Adele para cantar a sofrência lá fora (risos)”, brinca.

Ritmo alucinante 
Com mais de 200 shows agendados para este ano, Marília conta que a crise de estafa, que a mandou para o hospital, fez com que ela mudasse alguns hábitos em seu cotidiano. Recentemente, ela perdeu 8kg e está mantendo uma dieta mais saudável. “Sempre me senti bem comigo mesma, mas posso tentar me sentir melhor, além de oferecer um show mais agitado para os meus fãs”, afirma.

Com a ajuda de alguns amigos, a musa sertaneja ficou um pouco mais vaidosa e, apesar dos cuidados com a alimentação, não dispensa uma boa cervejinha. Mas Marília faz questão de manter sua essência e admite que ainda não se habituou com as dores e delícias da fama. “Muita coisa me assusta. Ainda não consegui entender o modo como tudo aconteceu, porque não tive tempo para isso. Ninguém acredita quando falo que sempre sonhei em cantar, mas nunca pensei na fama em si. Não consegui me enquadrar no lado celebridade ainda”, assume a popstar.

03/04/2017 - 09:01

Conecte-se

Revista Minha Novela