Jayme Matarazzo encara seu primeiro vilão, o Fernão de 'Tempo de Amar'

O ator festeja com maturidade o primeiro ano de casamento com Luiza Tellechea: “O ciúme mora num lugar saudável dentro de mim!”

Texto: Thomaz Rocha

Jayme Matarazzo | <i>Crédito: JOÃO MIGUEL JÚNIOR / REDE GLOBO
Jayme Matarazzo | Crédito: JOÃO MIGUEL JÚNIOR / REDE GLOBO

Com sangue nos olhos, Jayme Matarazzo enfrenta o desafio de viver seu primeiro antagonista. Em Tempo de Amar, o ator vive o médico Fernão, um rapaz mimado que faz de tudo para conseguir o que quer, inclusive, ter a amada, Maria Vitória (Vitória Strada) em seus braços. E o que Jayme quer mesmo é ser odiado nas ruas. Ele acredita que a raiva que as pessoas virem a nutrir por Fernão serve para avaliar o seu trabalho. “Pela primeira vez, tenho o sentimento de liberdade para torcer muito para as pessoas me odiarem. Acaba que isso é um termômetro interessante se estamos fazendo um trabalho legal. Mas também acho bacana quando as pessoas se apaixonam pelo vilão e conseguem compreender as razões de ele ser mau. Se eu conseguir desenvolver um vilão humanizado, vai ser um objetivo conquistado”, afirma o carioca.

Novos ares

Com a carreira repleta de bons moços, Jayme não via a hora de interpretar um vilão. O escorpiano acredita que a mudança para um tipo malvado serve de motivação em seu trabalho. “Senti dentro de mim que buscava experimentar algo diferente. Fazer o mocinho é muito difícil, com certeza, é muito mais complicado do que o vilão. Mas dar vida a um antagonista é a oportunidade de mostrar o outro lado do meu talento, estou muito feliz”, relata. Enquanto Fernão não aguenta ouvir um não, Jayme lida com as formas negativas da vida com muito esforço: “O segredo é batalhar, estudar e ralar muito pra correr menos riscos de ouvir os nãos da vida.”

Parceria das boas

Revelado na minissérie Maysa – Quando Fala o Coração (2009), o ator emenda uma produção a cada ano. No folhetim de Alcides Nogueira, ele está mais uma vez ao lado do pai, Jayme Monjardim, diretor artístico da trama das 6, com quem fez, além de Maysa, a novela Sete Vidas (2015). Segundo o ator, a parceria é tranquila. “Mais uma dobradinha nossa. A gente fez um trabalho lindo em Sete Vidas, que foi uma trama marcante. Nós dois percebemos que nossa parceria dá muito certo, e é fácil trocar figurinhas. Nossa conversa flui muito bem. Eu tenho muito orgulho de trabalhar com ele”, conta o ator, bastante emocionado ao falar do pai.

Bodas de papel

Jayme está comemorando um ano de casamento com Luiza Tellechea e não se cansa de demonstrar sua paixão pela esposa. Ele garante que a possessividade não tem vez na relação. “O ciúme vive num lugar saudável dentro de mim, assim como mora também na minha mulher. A gente conseguiu encontrar um ponto de equilíbrio. Ter um pouco de ciúmes é bom, basta saber onde colocar. Se ele for bom e saudável, é uma demonstração de amor”, revela o ator, mais maduro desde quando começou a namorar Luiza, há cinco anos. “Precisei ter controle sobre os meus sentimentos. Também, aos 31 anos, a gente vai crescendo e amadurecendo. Hoje, eu me vejo um cara bem mais equilibrado”, explica o carioca.

Casal caseiro

O artista conta as horas de folga para curtir Luiza e a cachorrinha Julieta. Ele revela ser um homem caseiro e garante que não foge do fogão na hora de preparar a comida. Apesar da família feliz, Jayme não sente a cobrança em ter filho nem tão cedo. “Na minha vida as coisas foram programadas de um jeito sempre tranquilo e ponderado. Claro que se vier vamos explodir de alegria, mas no momento não há nada planejado. Tenho muito desejo de ter um filho e vamos construir uma família linda”, relata o ator, que, por enquanto, só é pai da bulldog Julieta. “Estamos fazendo um primeiro estágio com a cachorrinha (risos). Brincadeira! A Julieta era um desejo antigo nosso de ter um animal. Sempre vivi muito próximo de bicho. A gente a acompanhou desde o nascimento, até ela poder sair da mãe. Cuidar de um animal exige uma responsabilidade grande”, conclui.

13/11/2017 - 13:21

Conecte-se

Revista Minha Novela