Sergio Guizé, o Gael de 'O Outro Lado do Paraíso', avisa que personagem seu vive entre o amor e o ódio

“Ele tem as duas nuances e vai para o extremo!”, diz o ator que vive seu quarto protagonista

Texto: Thomaz Rocha

Sergio Guizé | <i>Crédito: Raquel Cunha/Rede Globo
Sergio Guizé | Crédito: Raquel Cunha/Rede Globo

Quando o pôr do sol despontou no horizonte do Jalapão, no Tocantins, Sergio Guizé teve a certeza que aquela paisagem era uma das mais belas que já havia visto na vida. O ator conheceu a região do Centro do Brasil para gravar cenas de O Outro Lado do Paraíso. Na nova trama das 9, o paulista interpreta Gael, o violento filho de Sophia (Marieta Severo). Para Sergio, seu protagonista nasceu durante a viagem ao Tocantins. “Lá tem uma luz única, um povo que tem uma cultura muito forte. Quando vi tudo aquilo, bateu uma energia poderosa. Um lugar com um clima incomum”, conta o artista.

Via dupla 

Gael vive entre o amor e a raiva. Essas duas características paradoxas fazem do personagem de Guizé, um tipo complexo. Até para o próprio ator é difícil caracterizar se Gael é herói ou bandido: “Não consigo classificar ainda. Ele tem as duas nuances, e vai para os extremos. É muito magoado por ter sido projetado como o homem da casa desde criança, principalmente, pela mãe manipuladora, Sophia (Marieta Severo) que é a grande vilã da trama. Gael é refém da cultura que viveu, o veneno da mãe pinga nele e em outros personagens”. Mas, numa história que tem como tema a lei do retorno, Gael vai começar a ver o mundo de um jeito diferente, ao se afastar de seu grande amor, a esposa Clara (Bianca Bin), com quem é violento. “Aos poucos ele perceberá que o mundo não é só impunidade, que tudo o que ele fizer vai ter consequência, vai ter retorno, acredito que Gael seja pautado pelo amor, e não apenas pelo ódio”, avisa o taurino. Apesar de não gostar de classificar Gael como bipolar, Guizé está preparado para viver um personagem com essa condição. “Ele tem o pé grande na bipolaridade, mas é difícil afirmar porque não foi diagnosticado como tal. É um personagem muito intenso, ele ama demais e odeia demais também. Fiz trabalhos no teatro relacionados aos desvios psíquicos. Mas acredito que o Gael seja outra vertente”, explica.

Protagonistas

O passaporte para interpretar Gael, na novela de Walcyr Carrasco, veio ainda na época que o ator fazia outra trama do autor, Êta Mundo Bom! (2016). Por interpretar o inesquecível Candinho, Guizé ganhou vários prêmios de Melhor Ator. Ele se orgulha tanto do antigo personagem que se emociona todas as vezes que relembra o Candinho. “É muito bom falar sobre o Candinho, numa novela que lançamos uma semente de amor e esperança para o público e deu muito certo. Falo dele quase todo dia, foi um presente. Espero que ele continue sendo lembrado”, diz o ator, que faz seu quarto protagonista seguido em novelas. Engana-se quem pensa que o ator tem medo de ficar estigmatizado por sempre fazer personagens principais. “Não tenho medo. É bacana você ter uma responsabilidade maior e, por isso, tem que trabalhar muito todo dia. Eu gosto de trabalhar, então, quanto mais difícil, mais interessante”, garante.

Conjunto musical

Paralelamente à carreira de ator, Guizé lidera, há 15 anos, a banda Tio Che. Ele tenta conciliar a gravação da novela com ensaios do grupo, em São Paulo, mas nem sempre dá para estar com os colegas roqueiros. “As gravações estão muito intensas. Quando dá pra tocar eu toco. O Tio Che tem vida própria. Acabamos de gravar um disco, Tudo Sagrado, que será lançado em breve”, avisa o popstar.

03/11/2017 - 12:30

Conecte-se

Revista Minha Novela