Valentina Herszage exalta a parceria com Mateus Solano: “Ele tem sido um conforto!”

A atriz ainda fala sobre o desafio de interpretar uma adolescente que tem transtorno psicoafetivo

Texto: Thomaz Rocha

Valentina Herszage | <i>Crédito: Divulgação
Valentina Herszage | Crédito: Divulgação
O mundo da televisão é uma grande novidade para Valentina Herszage. Depois de vários trabalhos no teatro e no cinema, a atriz debuta na televisão como Bebeth, uma adolescente de 15 anos, em Pega Pega. “Sempre fui muito curiosa em saber como é o processo de uma novela, como é ficar um ano com uma personagem. Está sendo incrível!”, conta a premiada Valentina, que teve notoriedade como a Bia, do filme Mate-me Por Favor (2015). Pelo longa, ela levou para casa o troféu de melhor atriz, no Festival do Rio.

Transtorno em cena 
Além da estreia na TV, Valentina encara outro desafio. A jovem empresta toda sua emoção aos momentos em que Bebeth sofre as crises do transtorno psicoafetivo, por ela não ter a convivência da mãe, Mirella (Marina Rigueira), que morreu quando era criança. Nessas ocasiões, a personagem via no boneco Flor, um canguru animado. Na atual fase da novela, a adolescente não tem mais crises. Pelo menos por enquanto! Em breve, o canguru Flor vai voltar a se comunicar com Bebeth. Para fazer essas cenas de interação com Flor, Valentina revela que as sequências são repetidas diversas vezes. “Eu contraceno com o nada. Aí tenho que imaginar abraçando algo e sentir a presença, outras vezes usamos manipuladores de bonecos de teatro de animação, são vários tipos de bonecos. A parte final é a computação gráfica”, explica a carioca. 

Relação com os pais 
Para mergulhar no transtorno de Bebeth, Valentina teve laboratório em casa. A mãe da atriz, Mônica, é psicanalista e ajuda a artista a estudar as cenas em que a personagem tem surtos. Ao contrario de Bebeth, que tinha dificuldade na relação com o pai, Eric (Mateus Solano), Valentina sempre teve o apoio da família em todos os momentos de sua vida e jura que não dava trabalho para eles quando mais nova. “Sempre dei muita satisfação para meus pais, eles sempre foram livres comigo, me deram liberdade. Isso foi importante para que eu amadurecesse. Meus pais sempre gostaram de arte. Eles não trabalham com isso, mas sempre me apresentaram esse lado bonito do mundo. Foi então que me apaixonei por esse universo”, afirma a atriz de 19 anos, que, por 13 anos, fez teatro, dança, sapateado e circo.

Sentimentos fortes
Outro tema abordado na trama das 7 é o limite entre o amor e a ambição. Para Valentina, o amor é capaz de transformar uma pessoa por completo. “Estar em contato com uma pessoa, faz você ver as coisas de maneiras diferentes, ter outros pontos de vista. A novela fala como esse sentimento transforma e faz as pessoas deixarem no passado coisas que não importam tanto, como o dinheiro. A grana não traz felicidade. A felicidade a gente pode achar em outros lugares”, afirma Valentina, que não esconde o orgulho por contracenar com Mateus Solano logo em seu primeiro trabalho na TV. “O Mateus é incrível. Ele tem sido um conforto, uma segurança. Como é meu primeiro papel na TV, eu entro cheia de insegurança e descobrindo o novo. Ele tem uma calma muito bonita, de saber que as coisas acontecem como tem que acontecer”, conclui a carioca.

26/09/2017 - 16:03

Conecte-se

Revista Minha Novela